Pular para o conteúdo →

Porque eu tenho medo de fantasmas

Escrevi uma novela sobre um lobisomem tentando sobreviver trabalhando para a máfia em uma Campinas futurista, um lugar com cucas, sacis, unhudos e outras criaturas. Também escrevi sobre Lúcia, a filha do chefe e parceira de Rhalfe para resolver as questões como assassinato, milícia e hackers. Até que se envolvem em um problema maior do que parece. A novela chama-se Trabalho Honesto e será publicada de graça somente para quem deixar o nome e e-mail no site que fiz para divulgá-la. Acesse aqui e deixe o seu e-mail lá! “Mas Rodrigo, você acabou de escrever um textão sobre como publicar…

Ir para o texto Porque eu tenho medo de fantasmas

Comentar

O que raios é Markdown?

Sempre achei difícil escrever para a web no Word. Não sei se é a interface cheia de botões, ou se apenas a referência clássica, mas ele sempre me pareceu “sério demais”. Tipo, “escrever de verdade”. É como comprar uma papelaria estilosa. Escrever qualquer rabisco ali parece ofensivo. Aí que sempre achei difícil escrever usar o programa para essas besteiras mais leves. — posts para blogs, newsletter, artigos, e-mails. Então acabei descobrindo esse tal de Markdown, há coisa de cinco ou seis anos. (Se prepara que é hora da nerdice). Markdown é uma linguagem de marcação, assim como o HTML. Ele é um jeito de escrever em texto puro, deixando anotações sobre a formatação. Ih, complicou?

Ir para o texto O que raios é Markdown?

Comentar

Como conseguir freelas de redação

Viver de home-office é o sonho de muita gente, mas para isso você precisa de clientes ou de um cônjuge rico. Aí vem aquela perguntinha básica e tão difícil de responder: como conseguir freelas de redação? Opa, você quer a fórmula mágica? Estamos aqui para isso! (E provavelmente para te desapontar com a resposta). E já que o elefante está aqui, vamos começar com ele: dá para viver da escrita? Sim, eu vivo do que produzo como redator freelancer, mas, ganho menos do que ganhavam quando em agência (mas também tenho menos gastos fixos com combustível, manutenção da moto, e economizo bastante almoçando em casa). Mas principalmente, sem uma rotina estressante, compro bem menos por impulso.

Ir para o texto Como conseguir freelas de redação

Um comentário

Como ter seu livro publicado

“Terminei meu original. E agora, o que eu faço?” Recebi um e-mail curioso outro dia: “Oi, Rodrigo, tudo bem? É o seguinte: eu terminei um original e não sei o que fazer agora. Devo procurar um agente? Enviar para uma editora? Você conhece alguém pra me recomendar? O mercado literário é uma novidade para mim, gostaria de contar com sua experiência pra saber qual o próximo passo…” Em primeiro lugar, muito obrigado mesmo pela consideração. Infelizmente a verdade é que a minha “experiência em mercado literário” é praticamente zero. Nada. Nothing. Eu não vi, mas minha esposa viu… Eu tenho…

Ir para o texto Como ter seu livro publicado

Um comentário

11 blogs sobre escrita e redação para você acompanhar

Como andei escrevendo um trem grande demais para esse blog, resolvi trapacear essa semana e mandar uma listinha marota. Pesquei dez onze recomendações da lista de blogs que acompanho. Um pouco sobre redação, produtividade e claro, o fazer literário. Curiosamente, vários dos blogs que pensei em colocar aqui não são atualizados há meses, por isso ficaram de fora. Também não coloquei alguns dos maiores blogs sobre marketing de conteúdo, porque são bem chatos de acompanhar (usam formulinhas quadradas em seus posts). Também percebo que não acompanho canais que trazem muito conteúdo (mais que um por dia), já que eles tendem…

Ir para o texto 11 blogs sobre escrita e redação para você acompanhar

Comentar

Precisamos falar sobre clichês

A Trasgo não é uma revista de terror ou horror. Mas por algum motivo (talvez porque brasileiros adorem escrever coisas trevosas) eu recebo muitos contos do gênero para avaliar. E como se esse já não fosse o meu gênero menos favorito, é recheado, lotado, abarrotado de clichês. Vamos falar um pouco sobre eles? Primeiro: "por que não usá-los, se há grandes clássicos inspirados nessas estruturas?" Porque é um truque batido para aumentar o drama sem se dar ao trabalho. É como um cara lendo um livro de piadas no próprio stand-up. Nope. Você precisa fazer sua lição de casa e…

Ir para o texto Precisamos falar sobre clichês

5 comentários

Da Antiga Arte de Ler e Acompanhar Blogs

Eras atrás, quando o jornal ainda se referia à Internet como “A Rede Mundial de Computadores”, havia blogs. Dinossauros de layout quadrado, opiniões, links e referências. Naquela época, descobrir algo era mais difícil. Sim, havia mecanismos de pesquisa, sites dedicados a apontar outras referências na internet sobre o mesmo tema (quem não lembra dos “rings” de sites?) e a ideia de “portal” ainda fazia algum sentido. Uma das mecânicas mais joias para descobrir algo eram os links. Você escrevia algo, linkava o blog de alguém, volta e meia postava sobre os artigos mais interessantes que você leu por aí, e…

Ir para o texto Da Antiga Arte de Ler e Acompanhar Blogs

2 comentários

Sobre acreditar e lutar pela sua arte

Uma das coisas mais difíceis de viver da escrita nada tem a ver com as linhas tortas que saem de sua caneta, nem mesmo com o processo de pensamento que leva a elas. Tem a ver com todo o resto. Você já contou para alguém que você está realmente tentando viver de sua arte, de sua produção? Sim, viver da escrita, mas também viver de sua ilustração, de seus vídeos no Youtube, de seu blog, do seu projeto jornalístico? O que vem a seguir quase sempre é um olhar de pena. Não é muito fácil acreditar em si mesmo. Na…

Ir para o texto Sobre acreditar e lutar pela sua arte

2 comentários

Deixe-me recomendar um teclado

Sabe qual é a ferramenta mais importante para o seu trabalho como escritor? (Ou programador, ou qualquer trabalho que envolva muitas horas digitando — ou seja, quase todo mundo?) O seu cérebro. Tá, esquece o cérebro, a segunda ferramenta mais importante: os olhos. Esquece a metáfora. Suas mãos. Os braços, pulsos. É nisso que eu quero chegar. Você precisa muito das suas mãos para digitar. Cejura? E estourar os seus pulsos por falta de ergonomia é mais fácil do que você pensa. Deixe-me contar uma historinha: Imagine que você tem uma empresa de desenvolvimento de aplicativos para celular. Então, num…

Ir para o texto Deixe-me recomendar um teclado

Comentar

A prática leva à perfeição?

Imagine que duas adolescentes queiram aprender Kung-Fu. Juliana vai a uma academia, se inscreve, e começa a praticar duas vezes por semana por uma hora. Já Patrícia acredita que consegue aprender sozinha. Então ela vai até o quintal de sua casa e pratica socos, chutes e movimentos pelo triplo do tempo que a amiga. Qual das duas você acha que estará com o chute mais efetivo depois de dois meses de treino? E depois de um ano? Dois? Nós falamos muito sobre o trabalho necessário, a quantidade de horas para aprender qualquer tarefa, mas raramente usamos o termo “prática orientada”.…

Ir para o texto A prática leva à perfeição?

2 comentários