Pular para o conteúdo →

49 dicas para quem escreve profissionalmente

Se você tem um blog, se a escrita é seu ganha pão ou hobby, acho que vai gostar dessa seleção de links discutindo desde a arte das palavras até assuntos mais práticos, como quanto cobrar por um texto. São links enviados no ano passado na newsletter Viver da Escrita, uma newsletter para quem vive de arte.

Veja também:
99 Dicas sobre Vida Criativa e Produtividade
99 Dicas sobre literatura, escrita e publicação!

Quer receber a cada quinzena algumas recomendações sobre vida criativa? É só deixar o seu e-mail aqui!

Receba a Newsletter do Viver da Escrita!

* indicates required



O beabá da redação publicitária

Onde publicar seus textos? – Medium, Facebook, Scribe, Wattpad, Widbook ou site próprio?

Arrume um bom mecânico – e outros conselhos para escritores – O que motos têm a ver com literatura? Calma, eu explico.

O português está sendo invadido? – Se apenas 5% dos brasileiros falam inglês, faz sentido usar estrangeirismos no texto?

Publicar com frequência ou investir tempo em um projeto mais longo? – Uma abordagem sobre a velha pergunta: textão ou textinho? Vários conteúdos rápidos ou alguns conteúdos mais longos? Conto ou romance?

Como escrever uma resenha – Você não precisa escrever a resenha para adorar este artigo, onde você aprende a analisar uma obra, ir além do “gostei/não gostei”, exercício essencial a quem escreve ou trabalha com literatura.

O que raios é Markdown – Essa newsletter, por exemplo, é toda criada em Markdown e depois exportada para html, o que facilita demais o trabalho e me poupa um tempão!

Da Antiga Arte de Ler e Acompanhar BlogsEras atrás, quando o jornal ainda se referia à Internet como “A Rede Mundial de Computadores”, havia blogs. Dinossauros de layout quadrado, opiniões, links e referências. Naquela época, descobrir algo era mais difícil.

Não deixe o link morrer – Aline ValekVem cá: a pessoa vê um texto, acha legal, quer que o mundo leia também. Ela pega o u-érre-éle daquele texto para colocar em seu post e fazer surgir aquela mágica do textim sublinhado que conduz a outra página? Não. Ela tasca um PRINTÃO e compartilha a IMAGEM.

The Reluctant Memoirist – Suki Kim passou quase uma década infiltrada como professora na Coréia do Norte para escrever um livro-reportagem sobre o país. Quando o editor a obrigou a publicar seu trabalho jornalístico como um livro de memórias, ela vê todo o seu trabalho cada vez mais desvalorizado.

Simple Questions for Writers – Quatro perguntas de Seth Godin para escritores, muito útil para quem escreve em blogs, redação publicitária ou jornalismo.

What Beyoncé taught me – Sobre dança e escrita – Zadie Smith: “The connection between writing and dancing has been much on my mind recently: it’s a channel I want to keep open. It feels a little neglected – compared to, say, the relationship between music and prose – maybe because there is something counter-intuitive about it. But for me the two forms are close to each other: I feel dance has something to tell me about what I do.”

The Creative World’s Bullshit Industrial Complex – Sean Blanda sobre pseudo-“experts-gurus”: Don’t fall into the trap of being an expert before you’re ready. We have enough of those.

I doomed mankind with a free text editor – Morten Just desenvolveu um editor de texto com um detalhe curioso: ele só permite que você utilize as 1000 palavras mais comuns na língua inglesa. O experimento provocou a revolta dos prolixos engrinaldadores textuais. Ok, se você só usa palavras simples, o seu texto é mais pobre?

Stock and Flow – Um dos melhores artigos sobre conteúdo frequente, me fez pensar bastante: Flow é o conteúdo constante, o arroz com feijão que mantém o canal vivo. Stock é aquela pérola que demanda mais trabalho, mas realmente brilha. Robin explica por que você precisa de ambos.

Failure is an optionIt scares me. If they can fail so can I… and so can you. Falhar é uma opção. A partir do momento que você aceita isso, você envia o conto para a revista. Manda para um amigo ler. Aprende a pegar seus pedaços do chão e tentar de novo.

 

Mais palavras, menos tempo

Foco – Ou como não entrar em pânico quando o monstro gigante do prazo já chegou à praia.

A prática leva à perfeição? – Imagine que duas adolescentes queiram aprender Kung-Fu. Juliana vai a uma academia, se inscreve, e começa a praticar duas vezes por semana por uma hora. Já Patrícia acredita que consegue aprender sozinha. Então ela vai até o quintal de sua casa e pratica socos, chutes e movimentos pelo triplo do tempo que a amiga. Qual das duas você acha que estará com o chute mais efetivo depois de dois meses de treino?

A Arte de Abandonar Livros – Thiago d’Evecque: “O segredo para ler muito e ler rápido é saber o que não ler. E saber desistir de certos livros. E acredite em mim, eu sei o quanto isso é difícil. Nós, que amamos livros, sentimos uma espécie de obrigação moral para terminar todos os que começamos. Mesmo que a leitura seja completamente errada para nós naquele momento. A culpa toma conta, sentimos vergonha por querermos abandonar um livro. E se a leitura melhorar algumas páginas depois?”

Como terminar um livro de 500 páginas mesmo sendo um péssimo leitor – Um truque simples, óbvio e batido. Mas que funciona muito, muito bem.

Books for life – Adam Gidwitz: “How does a book get on The New York Times bestsellers lists? For those outside the publishing industry, the question seems tautological. You get on a bestseller list by being among the top 10 bestselling books in your category. Obviously.”

Stop starting and start finishing. – Embora seja mais focada no mercado de startups, a dica é muito válida para a escrita, e já foi dita até pelo Gaiman (“You have to finish things”). Conheço gente com três ou quatro “sagas” incompletas, mas nenhum continho pronto.

Turning Out Words: Productivity – Pré-escrever o texto (criando um outline do que acontecerá na cena ou nos tópicos que o texto aborda) pode sim facilitar a escrita e aumentar a produtividade.

The Single Greatest Method for Immediately Increasing Your Blog Post Production Speed by 600% – Ignore o título imbecil, a dica é boa. É a técnica que uso para escrever alguns posts de blogs para clientes, quando o assunto não ajuda. Funciona, mas engessa.

 

Nunca se venda barato

Gambá com Penas – Ou como convencer seus clientes a pagar por redação.

Sobre escrever de graça e Escrever literatura e não ganhar nada com isso?: os dois primeiros textos do ebook “Quanto vale o seu texto”.

Escrever para o canal dos outros é legal? – Quando vale, e quando não vale a pena aceitar convites para ser colunista de um portal.

Sobre fazendas de conteúdo – Minha opinião sobre aqueles famosos sites com ofertas de conteúdo para redatores.

Quanto cobrar por um texto? – Publiquei um dos textos centrais do ebook “Quanto vale o seu texto?”, onde explico de qual valor parte o meu cálculo.

Como enviar um orçamento de forma profissional – Freelancers geralmente trabalham no seguinte esquema: metade do pagamento antes do job, metade depois, na entrega. “Ah, mas por que tenho que pagar adiantado, não é assim que os outros negócios funcionam.”

Vida de Freelancer – Gente que Escreve – Um podcast sobre vida freelancer, com boas dicas de Fábio Barreto e Rob Gordon..

Scream It Until Their Ears Bleed: Pay The Fucking Writers – Uma bela resposta de Chuck Wendig ao editor do Huffington Post que disse, com orgulho, que não paga os autores em seu site. Sabe aquela velha história de que conteúdo gratuito é mais autêntico? É uma mentira (antiga, aliás) inventada por editores para não pagar jornalistas.

 

Automarketing: como vender o próprio peixe

Como conseguir freelas de redação – Viver de home-office é o sonho de muita gente, mas para isso você precisa de clientes ou de um cônjuge rico. Aí vem aquela perguntinha básica e tão difícil de responder: como conseguir freelas de redação? Opa, você quer a fórmula mágica? Estamos aqui para isso!

Este texto vai frustrá-lo – Eduardo Fernandes: “Cedo ou tarde, todo mundo se sente perdendo tempo na vida. É como se estivéssemos jogando a existência fora, seja ativamente drenando nossos recursos vitais ou simplesmente assistindo seu esgotamento. Surge um mal-estar persistente, um descontentamento contínuo, acompanhado de uma ansiedade genérica (“tenho que fazer alguma coisa”, “tenho que mudar de curso”). Uma encruzilhada existencial.”

Making Your Writing Work Harder For You – Obrigatório a quem trabalha com conteúdo: “Content” suggests that something is mass-produced in a factory-like setting, which is unfortunate, because the type of people you’re trying to sell to probably don’t think that “mass-produced in a factory” describes anything that they want to buy.

What Separates the Peter Pans from the Pros – Descobri essa semana o blog da escritora Jocelyn K. Glei e já estou viciado. Ótimas discussões sobre escrita e produtividade, espere mais textos dela por aqui. Neste post, uma provocação interessante: escrever como um profissional é escrever com compromisso.

How To Suck At Social Media: An Indispensable Guide For Businesses – Trabalhei com mídias sociais por um bom tempo da minha carreira. Ainda faço um projeto ou outro, mas a verdade é que parei de achar que isso vale a pena. Esse post explica bem o porquê.

Is Your Content Worth the Download? – Vai fazer um ebook exclusivo ou criar um conteúdo restrito a assinantes? Para isso, é bom que o seu conteúdo cumpra pelo menos um destes três requisitos básicos: informação exclusiva, análise mais densa ou algo digerido, fácil de usar.

Netflix’s Grand, Daring, Maybe Crazy Plan to Conquer the World – Uma bela reportagem dos bastidores do Netflix na ocasião do lançamento da segunda temporada de Demolidor. Uma das joias do artigo é sobre a recomendação de conteúdo: “nós descartamos idade, gênero e localização, isso não serve para recomendar nada”. Para pensar…

Editor’s Letter: Five Thoughts on Five Years – The Great Discontent é uma revista que entrevista artistas e criativos pelo mundo. Neste texto o editor fala sobre o longo caminho percorrido nos cinco anos e deixa a lição: “community is everything“.

6 Tips for Making It Small in Hollywood. Or Anywhere. – Mike Birbiglia num texto incrivelmente modesto. Você não precisa ser grande, conhecido, famoso. Dá para ter uma carreira (e uma vida) criando coisas para um público menor.

Uma escrita menos cinza

Como melhor interpretar e absorver suas leituras – Uma outra abordagem, sobre métodos de leitura e absorção do conteúdo, com notas, citações e rabiscos. Sim, você pode rabiscar o livro (se ele for seu, claro).

11 blogs sobre escrita e redação para você acompanhar – Se você gosta dessa newsletter, deve gostar de uma ou duas referências dali.

Write like you talk – Conselho repetido sempre, desta vez por Paul Graham: escreva como você fala. Menos frescura, mais naturalidade.

The 51 Greatest Articles About Writing I’ve Ever ReadYou want to be the world’s best online writer, a David Ogilvy of the blogs, a Shakespeare of the social media. Or maybe you just want to be good enough to get by on freelance writing.

Minimum Viable Personality – Um post escrito em maiúsculas por um dinossauro robótico é a melhor coisa que você vai ler sobre produção de conteúdo hoje. SIM!

Do It for the Story: Why Content Marketing Needs to Elevate Its Creative Aspirations – O Unthinkable se tornou meu novo podcast favorito. É específico sobre marketing de conteúdo (meu trabalho oficial), mas aborda vários assuntos paralelos, como paixão, hobbies e iniciativa.

5 exercises to improve your storytelling skills – Pequenos exercícios para engraxar suas engrenagens criativas, como por exemplo sentar-se em um café e inventar histórias sobre os passantes. 😉

Crotch-Punching The Creative Yeti: Exploding More Writing MythsEvery writer is different. Every writer possesses a different process. Some people open their maws and disgorge 10,000 words at a time. Some writers peck through the word count — a hundred words here, a hundred there. One writer takes a year to write a book. Another takes three.

How Google Analytics ruined marketing – Uma aula de marketing de Samuel Scott: estratégia, canal e mensagem é mais importante do que “social media marketing”, “content marketing” ou Facebook marketing”. Vontade de mandar isso para todos os meus clientes que me perguntam se “eu faço Facebook”[sic].

Steal old stuff – Austin Kleon: “One of the quickest ways to develop more original work is to stop stealing from people who are alive and start stealing from the dead.”

 

Frase do dia: Como assim, você quer ganhar dinheiro fazendo o que todo mundo aprende lá na quinta série?

Foto: rickcameron, michellecarl, BioDivLibrary, kennethkonica, DonMiller_ToGo, Thomas Hawk Flickr via Compfight cc

Postado em Referências no dia 30 de janeiro de 2017

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *