Skip to content →

Categoria: Leituras

Porque eu tenho medo de fantasmas

Escrevi uma novela sobre um lobisomem tentando sobreviver trabalhando para a máfia em uma Campinas futurista, um lugar com cucas, sacis, unhudos e outras criaturas. Também escrevi sobre Lúcia, a filha do chefe e parceira de Rhalfe para resolver as questões como assassinato, milícia e hackers. Até que se envolvem em um problema maior do que parece. A novela chama-se Trabalho Honesto e será publicada de graça somente para quem deixar o nome e e-mail no site que fiz para divulgá-la. Acesse aqui e deixe o seu e-mail lá! “Mas Rodrigo, você acabou de escrever um textão sobre como publicar…

Comentar

Cobre direito ou faça de graça: nunca se venda barato

Existe algo pior do que trabalhar de graça: cobrar pouco. Se tem algo com grandes chances de dar merda frustrar expectativas de ambos os lados é quando o serviço é barato. O que é “barato?” É o marido da barata, tu-du-tshi! Ok, chega. Sério agora. Para mim, cobrar pouco é cobrar menos por um texto do que você acha que seria justo. (E se você acha que deveria ganhar um milhão de dólares por texto, desculpe, você está na carreira errada. Escrever não é tão chato assim.) Se você acredita que não está sendo valorizado por aquele texto, você vai…

Comentar

A Arte de Pedir – Amanda Palmer

Começo com uma digressão: outro dia li um artigo sobre com absorver mais das suas leituras. Tem a ver com rabiscar os seus livros, fazer anotações e salvar trechos favoritos. Quando peguei “A Arte de Pedir” para ler, achei que esse era um livro para ser anotado. Como comprei o livro digital, salvei os trechos favoritos pela própria ferramenta do Kindle, e cá estou, falando um pouco sobre Amanda Palmer para vocês. Este é um daqueles livros onde é impossível dissociar conteúdo e autora. A Arte de Pedir, no formato que se apresenta, só poderia ser escrito por Amanda Palmer,…

Comentar

Sobre a Escrita – Stephen King

Em um domingo, não muito depois dessa ligação, recebi outra de Bill Thompson, da Doubleday. Eu estava sozinho no apartamento; Tabby tinha ido com nossos filhos visitar a mãe, e fiquei trabalhando no novo livro, que pensava em chamar de Vampires in Our Town [Vampiros em nossa cidade]. — Você está sentado? — perguntou Bill. — Não. — O telefone ficava na parede da cozinha, eu estava de pé na soleira da porta entre a cozinha e a sala. — Preciso me sentar? — É melhor. Os direitos da edição brochura de Carrie foram vendidos para a Signet Books por…

Comentar