Skip to content →

O próximo passo da Trasgo

A Trasgo existe há mais de três anos. É tempo pra caramba, principalmente se estivermos falando em "anos na internet", em que a última grande novidade explode e desaparece em menos de um mês.

Foram até agora 13 edições, a essa altura já se espera uma produção mais automática de cada volume, não? Não. Muitas etapas do processo evoluíram, mas escolher os contos, fazer uma boa leitura crítica, revisar… Isso continua dando um trabalhão. Mas a gente não abre mão, porque desde o começo a Trasgo sempre tentou publicar os melhores contos de ficção científica e fantasia.

Convenhamos, a gente não precisa de mais conteúdo. Wattpad está aí para provar que existe mais linhas lá do que tempo para ler. Agora, o que daquilo é bom? O que dá gosto de ler, de querer mostrar para todo mundo?

Estudar, ler muito, escrever, reescrever, jogar fora, tentar de novo. É disso que é feito um bom texto. E a concorrência é acirrada na Trasgo. Dos quase duzentos contos que chegam, nós escolhemos seis.

Depois de todo esse tempo, sabe o que mais me incomoda? A sensação de não ser uma revista de verdade. Treze edições, 70 autoras, algumas das quais sou mega fã e tenho um enorme orgulho em publicar. Conquistamos público também, conquistamos madrinhas e padrinhos que colaboram mensalmente para a revista existir. Graças a elas nós pagamos todas as autoras, além de revisão e capa.

Nós somos profissionais, uhuu!

Então o que eu quero dizer que a revista não é de verdade? Ela é digital. Existe em epub, mobi e pdf, vive nos computadores, celulares, tablets e e-readers da galera. Mas eu não consigo mostrar para a minha tia o resultado de tanto trabalho. Não consigo dar de presente (até porque é gratuita). Não consigo colocar ali na estante junto aos clássicos.

No Brasil, ninguém leva muito a sério esse negócio de livro virtual. Mesmo que venda milhões, é menos valorizado que o livrinho que o primo Jorge imprimiu na gráfica. A gente ainda quer pegar o livro, cheirar. Bater com ele nos amiguinhos, mostrar na escola.

Por isso a Trasgo vai dar o próximo passo, e você pode ajudar: vamos fazer uma edição impressa!

Está ouvindo as trombetas? Sim! Nós juntamos todos os contos do primeiro ano da Trasgo, chamamos a Kelly Santos para ilustrar uma bela capa, Mary C. Muller para diagramar o miolo e partimos em busca da verba para viabilizar isso tudo.

É aí que você entra! O livro físico só vai existir se arrecadarmos o mínimo de 9.900 reais no Catarse. Então você pode ir até ali e comprar a sua edição exclusiva: um calhamaço de 376 páginas, 26 contos de primeira, 3 deles inéditos (e um meu!).

Nós publicamos muita gente bacana no primeiro ano da Trasgo. Vai ser incrível transformar todo esse material em um livro impresso. Conheça o projeto e colabore! Você ainda pode comprar camisetas, canecas, receber outros contos extras e até comprar uma vaga na minha Oficina de Redação por um preço mais que camarada.

Acessa lá, e faça parte do futuro da Trasgo: https://www.catarse.me/trasgoano1

Frase do dia: Já pensou se você conhece o amor da sua vida lendo uma Trasgo num ônibus?

Published in Pensamentos no dia 23 de fevereiro de 2017

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *