Skip to content →

Como reescrever seu original

Há quem tema a página em branco. Ou quem observe o ponto final lá adiante, às vezes com esperança, às vezes desalento. Mas, de pouco em pouco (ou num ritmo alucinado, se for o caso do NaNoWriMo), chega-se ao último ponto final. A gente até escreve "FIM" para ter certeza que acabou mesmo.

E agora?

Agora é que começa o trabalho de verdade. Stephen King, em "Sobre a Escrita", diz que a primeira versão é a portas fechadas, a segunda com a porta aberta. Outros dizem que o rascunho é a história que estava guardada dentro de você e precisava sair. A partir daí o texto é da leitora.

Escolha a metáfora que quiser, nenhum texto está pronto na primeira versão. É a disposição de retrabalhar o texto, reconstruir, cortar, reescrever, que separa as autoras profissionais das amadoras. Num mercado extremamente concorrido como o da literatura, ninguém pode se dar ao luxo de enviar (para uma agente, uma editora, ou autopublicar) uma obra que ainda não esteja pronta ou próxima disso.

Só que reescrever não é só polir o texto.

Embora a limpeza do texto seja necessária, há etapas que podem fazer o seu manuscrito brilhar de verdade. Você sabe identificar onde estão as barrigas do seu texto, onde cortar e onde expandir? Ou como passar a mensagem que deseja sem cair no didatismo ou na panfletagem?

Leitores betas ajudam, e muito, nessa parte. Mas nem sempre o comentário do leitor beta é exatamente o que você precisa resolver. A leitura beta (ou a leitura crítica) te entrega um mapa com monstros e escarpas rabiscados. Você ainda tem que riscar seu caminho.

Como reescrever – encarando o manuscrito depois do ponto final

Esta oficina apresenta o caminho das pedras, uma sistemática para você ver o seu texto com os olhos de um editor, e trabalhar o seu texto de maneira mais objetiva e prática.

Alguns assuntos abordados:

  • O que observar em uma reescrita.
  • Ganchos e inícios.
  • Mate seus queridinhos… Ou não?
  • Arco dramático da narrativa e da protagonista.
  • Ritmo, humor e estilo.
  • Tema, significado ou argumento.

Dia 24/02 às 14:00

O curso é online, feito via Hangouts. Isso possibilita uma conversa plena, como se fosse um curso presencial, com troca de experiências e amplo espaço para tirar dúvidas. Se você não tiver câmera, pode participar apenas com o microfone. Se não tiver, é possível digitar suas dúvidas no chat. 😉

Sobre o professor

Rodrigo van Kampen é editor da Revista Trasgo, que em seu quinto ano no ar, já lançou dezesseis edições e vem se tornando uma das principais publicações de contos de FC e Fantasia brasileiros. Formado em jornalismo, além de editor freelancer é escritor com contos publicados pelas editoras Draco, Aquário e publicações independentes. Ministra oficinas de escrita online e presenciais e escreveu a novela cyberpunk folclórica Trabalho Honesto.

Mais em rodrigovankampen.com.br

Inscreva-se agora!

Além da oficina Como reescrever – encarando o manuscrito depois do ponto final, o Viver da Escrita está com um calendário incrível de oficinas para os próximos meses. Veja o que vai rolar:

(Clique sobre cada cartão para ler mais)

Inscreva-se agora!

Frase do dia: “It is good to have an end to journey toward; but it is the journey that matters, in the end.” / "É bom ter um destino final para a jornada; mas, no fim, é a jornada que importa". - Ursula K. Le Guin em "A Mão Esquerda da Escuridão"

Foto: Magdalena Roeseler Flickr via Compfight

Published in Cursos no dia 24 de janeiro de 2018

Opa, gostou deste texto? Talvez você se interesse pelo meu curso de storytelling, onde explico os segredos de um blog, newsletter ou até Facebook mais gostoso de ler. Acesse aqui. ;)

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *