Skip to content →

Como reescrever seu original

Há quem tema a página em branco. Ou quem observe o ponto final lá adiante, às vezes com esperança, às vezes desalento. Mas, de pouco em pouco (ou num ritmo alucinado, se for o caso do NaNoWriMo), chega-se ao último ponto final. A gente até escreve "FIM" para ter certeza que acabou mesmo.

E agora?

Agora é que começa o trabalho de verdade. Stephen King, em "Sobre a Escrita", diz que a primeira versão é a portas fechadas, a segunda com a porta aberta. Outros dizem que o rascunho é a história que estava guardada dentro de você e precisava sair. A partir daí o texto é da leitora.

Escolha a metáfora que quiser, nenhum texto está pronto na primeira versão. É a disposição de retrabalhar o texto, reconstruir, cortar, reescrever, que separa as autoras profissionais das amadoras. Num mercado extremamente concorrido como o da literatura, ninguém pode se dar ao luxo de enviar (para uma agente, uma editora, ou autopublicar) uma obra que ainda não esteja pronta ou próxima disso.

Só que reescrever não é só polir o texto.

Embora a limpeza do texto seja necessária, há etapas que podem fazer o seu manuscrito brilhar de verdade. Você sabe identificar onde estão as barrigas do seu texto, onde cortar e onde expandir? Ou como passar a mensagem que deseja sem cair no didatismo ou na panfletagem?

Leitores betas ajudam, e muito, nessa parte. Mas nem sempre o comentário do leitor beta é exatamente o que você precisa resolver. A leitura beta (ou a leitura crítica) te entrega um mapa com monstros e escarpas rabiscados. Você ainda tem que riscar seu caminho.

Como reescrever – encarando o manuscrito depois do ponto final

Esta oficina apresenta o caminho das pedras, uma sistemática para você ver o seu texto com os olhos de um editor, e trabalhar o seu texto de maneira mais objetiva e prática.

Alguns assuntos abordados:

  • O que observar em uma reescrita.
  • Ganchos e inícios.
  • Mate seus queridinhos… Ou não?
  • Arco dramático da narrativa e da protagonista.
  • Ritmo, humor e estilo.
  • Tema, significado ou argumento.

Dia 24/02 às 14:00

O curso é online, feito via Hangouts. Isso possibilita uma conversa plena, como se fosse um curso presencial, com troca de experiências e amplo espaço para tirar dúvidas. Se você não tiver câmera, pode participar apenas com o microfone. Se não tiver, é possível digitar suas dúvidas no chat. 😉

Sobre o professor

Rodrigo van Kampen é editor da Revista Trasgo, que em seu quinto ano no ar, já lançou dezesseis edições e vem se tornando uma das principais publicações de contos de FC e Fantasia brasileiros. Formado em jornalismo, além de editor freelancer é escritor com contos publicados pelas editoras Draco, Aquário e publicações independentes. Ministra oficinas de escrita online e presenciais e escreveu a novela cyberpunk folclórica Trabalho Honesto.

Mais em rodrigovankampen.com.br

Inscreva-se agora!

Além da oficina Como reescrever – encarando o manuscrito depois do ponto final, o Viver da Escrita está com um calendário incrível de oficinas para os próximos meses. Veja o que vai rolar:

(Clique sobre cada cartão para ler mais)

Inscreva-se agora!

Frase do dia: “It is good to have an end to journey toward; but it is the journey that matters, in the end.” / "É bom ter um destino final para a jornada; mas, no fim, é a jornada que importa". - Ursula K. Le Guin em "A Mão Esquerda da Escuridão"

Foto: Magdalena Roeseler Flickr via Compfight

Published in Cursos no dia 24 de janeiro de 2018

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *